Foto: Jamaica Information Service

Educação inclusiva na Jamaica: Esforço para responder às necessidades de estudantes com deficiência

26 de Setembro de 2019

No contexto do Fórum Internacional da UNESCO sobre inclusão e eqüidade na educação (11 a 13 de setembro de 2019), ALER e CLADE conversaram com Sharon Anderson Morgan, representante do Ministério da Educação da Jamaica

Nesse diálogo, Sharon Anderson Morgan, representante do Ministério da Educação da Jamaica, disse que atualmente o sistema educacional na Jamaica propõe a missão de se tornar inclusivo, passando de políticas baseadas em competências para um esforço e uma perspectiva que busca responder a as necessidades das e dos estudantes.”Ainda temos algumas escolas segregadas, mas estamos nos movendo para uma educação inclusiva, com a adaptação do currículo nacional para atender a diferentes necessidades”.

Ela também comentou a política de inclusão educacional que está sendo promovida atualmente no país, com o objetivo de aumentar o acesso e a qualidade da educação, com ênfase no ensino fundamental e na educação das pessoas com deficiência. “Essa é uma política voltada para administradores de educação, centros de avaliação e outros atores. Apresentamos diretrizes administrativas para diretores, educadores, assistentes, para que eles possam ter diretrizes para melhor atender os alunos com deficiência, em termos de processos, tratamento, avaliação e como individualizar e desenvolver planos de educação”, explicou

Acrescentou também que essa política também estabelece diálogo com as famílias de estudantes com deficiência. “Esse é um componente forte de qualquer programa educacional. Abordamos o direito de pais e mães de ter informações e de se envolver no desenvolvimento do plano educacional de seus filhos”.

A política mencionada, de acordo com a representante do Ministério da Educação da Jamaica, apresenta diretrizes para a inclusão na educação, desde a primeira infância ao ensino superior, incluindo elementos como: avaliação, acomodação e comunicação das e dos estudantes, entre outros. “É uma política abrangente que trata de diferentes áreas e preocupa-se com sua interpretação de acordo com os diferentes tipos de deficiências presentes no sistema educacional, que exigem formas de comunicação específicas e apropriadas”.

Ouça o diálogo completo (em inglês):


Entrevista e áudio: María Cianci Bastidas (ALER)

Texto: Fabíola Munhoz (CLADE)