Longe da árvore: filme destaca a convivência na diversidade

3 de Outubro de 2019

O documentário “Longe da árvore”, dirigido por Rachel Dretzin, é uma produção da Believe Films.  Distribuído na região pela Flow, está em cartaz no Brasil e em breve também estará disponível em outros países da América Latina e do Caribe. A CLADE apoia esta iniciativa.
(mais…)


Foto: Sandra Lázaro

“Na educação, é preciso pensar em outras dimensões da vida, como participação social, conscientização e pensamento crítico”

26 de Setembro de 2019

Na ocasião do “Fórum Internacional sobre Inclusão e Eqüidade na Educação” da UNESCO, ALER e CLADE conversaram com Carlos Vargas, do Escritório Regional de Educação para a América Latina e o Caribe da UNESCO (OREALC/UNESCO), que comentou sobre o Lacunas sociais atuais e desafios para a inclusão na educação na região.
(mais…)


Foto: Jamaica Information Service

Educação inclusiva na Jamaica: Esforço para responder às necessidades de estudantes com deficiência

Nesse diálogo, Sharon Anderson Morgan, representante do Ministério da Educação da Jamaica, disse que atualmente o sistema educacional na Jamaica propõe a missão de se tornar inclusivo, passando de políticas baseadas em competências para um esforço e uma perspectiva que busca responder a as necessidades das e dos estudantes.”Ainda temos algumas escolas segregadas, mas estamos nos movendo para uma educação inclusiva, com a adaptação do currículo nacional para atender a diferentes necessidades”.

(mais…)


Edugestores

Vice-Ministro da Educação do Peru: “Inclusão é mais do que adaptar edifícios”

17 de Setembro de 2019

A ALER e a CLADE conversaram com Guido Rospigliosi, vice-ministro da Educação do Peru, no âmbito do “Fórum Internacional sobre Inclusão e Equidade na Educação”. O evento foi organizado pela UNESCO, em parceria com o Ministério da Educação da Colômbia e a Prefeitura de Cali, e ocorreu de 11 a 13 de setembro em Cali, Colômbia. (mais…)


NIAID

Fórum Internacional da UNESCO: Depoimento de jovem pela inclusão de pessoas com HIV

16 de Setembro de 2019

O Fórum Internacional sobre Inclusão e Equidade na Educação, realizado de 11 a 13 de setembro em Cali, Colômbia, foi um espaço para debates e reflexões sobre educação inclusiva e também para jovens de todo o mundo expressarem suas experiências, perspectivas e demandas sobre esse assunto. (mais…)


Centro Linguística da Universidade NOVA de Lisboa

Educação em Portugal: “Se um estudante não está incluído, este é um problema em toda a escola”

13 de Setembro de 2019

ALER e CLADE conversaram com João Costa, vice-ministro da Educação de Portugal, no âmbito de sua participação na mesa-redonda ministerial intitulada “Garantindo que todas e todos os estudantes contem”, no primeiro dia de atividades do “Fórum Internacional sobre Inclusão e Equidade na educação”. O evento acontece entre os dias 11 e 13 de setembro em Cali, Colômbia, por iniciativa da UNESCO, em parceria com o Ministério da Educação da Colômbia e a Prefeitura de Cali. (mais…)


Foto:

Vernor Muñoz sobre Fórum da UNESCO: “Este é um marco para construir a inclusão”

11 de Setembro de 2019

No âmbito do Fórum Internacional sobre Inclusão e Equidade na Educação, organizado pela UNESCO, em parceria com o Ministério da Educação da Colômbia e a Prefeitura de Cali, a ALER e a CLADE conversaram com Vernor Muñoz, ex-Relator Especial da ONU sobre o direito à educação e diretor de políticas e advocacia da Campanha Mundial pela Educação (CME). O evento acontece em Cali (Colômbia), de 11 a 13 de setembro. (mais…)


Foto: Arquivo SES

Gênero e educação na Argentina: “Não falar em sexualidade também é uma maneira de educar, educar no tabu, no preconceito”

30 de Agosto de 2019

“45 universidades terão protocolos contra a violência de gênero”. Essa foi uma das notícias que circularam pelos jornais argentinos nas últimas semanas. Os protocolos são uma das estratégias mais importantes para prevenir e punir a violência de gênero na educação. No mesmo período, o país passou pelas eleições primárias, que tiveram como resultado a vitória do candidato peronista à presidência, Alberto Fernández, com uma vantagem de 15% sobre Mauricio Macri, atual presidente.

Nesse contexto, a Campanha Latino-Americana pelo Direito à Educação (CLADE) entrevistou Daniela Devoto, da Fundação SES, membro da Campanha Argentina pelo Direito à Educação (CADE). No diálogo, a ativista analisou as políticas de educação no país, bem como ações do Estado, de estudantes e organizações da sociedade civil, em relação às temáticas sexualidade, identidade de gênero e educação. (mais…)


Foto: Iván Matos

Igualdade de gênero na República Dominicana: Ministério da Educação divide opiniões, ao promover o debate sobre esse tema nas escolas

21 de Agosto de 2019

Recentemente, o Ministério da Educação da República Dominicana (MINERD) emitiu a ordem departamental 33-2019, que estabelece a implementação de uma política de gênero nas escolas. Segundo Marina Hilario, diretora de Equidade de Gênero e Desenvolvimento do Ministério da Educação, em entrevista ao Diario Libre, a ordem busca alcançar a verdadeira igualdade na educação de homens e mulheres, a fim de erradicar a cultura de que os homens são os fortes e líderes, enquanto as mulheres devem acatar o que eles dizem. (mais…)


Foto:

Campanha pelo Direito à Educação no México é o mais novo membro da CLADE

31 de Maio de 2019

A Campanha Latino-Americana pelo Direito à Educação (CLADE) celebra a incorporação de um novo membro a sua rede: a Campanha pelo Direito à Educação no México (CADEM). Essa coalizão se baseia no trabalho coletivo, autônomo, crítico e livre para exigir que o Estado assuma sua responsabilidade pela garantia do direito humano à educação, como um elemento chave para a realização de outros direitos de todos os povos e pessoas.

“É nossa missão promover e fazer seguimento para que a educação no México seja laica, libertária e pública. Defendemos que a garantia da educação pública no México deve observar a pluralidade dos diferentes territórios, a igualdade de direitos, a não-discriminação, bem como a correta e oportuna aplicação de recursos públicos”, afirma a Campanha Mexicana.

A seguir, compartilhamos a entrevista realizada com Guadalupe Ramos Ponce, Jesús Juárez e Rosa Elva Zúñiga, membros do Comitê Diretivo da CADEM, que comentam as principais ações e os desafios da coalizão no atual contexto e, além disso, destacam a importância de sua adesão à rede CLADE.

Que ações a CADEM promove atualmente para defender o direito à educação no México?

A CADEM está empenhada em fortalecer a democracia e a implementação efetiva do direito à educação para todas e todos no México, a partir de uma ação política crítica e proativa frente ao Estado mexicano. Em primeiro lugar, trabalhamos a partir da base de diferentes redes, em diferentes grupos. Em segundo lugar, atuamos com incidência e participação ativa em diferentes frentes: educação popular, feminismo e educação, trabalho com diversidade sexual e para a educação integral, trabalho com a educação formal e juventudes, a partir de propostas alternativas e interculturais, e o trabalho com diferentes redes magisteriais e de pesquisa, sob a questão transversal dos direitos humanos.

A incidência para a exigibilidade e a justiciabilidade do direito humano à educação frente ao Estado mexicano tem estado presente por meio das diferentes organizações que compõem a CADEM, nos espaços de decisão, no debate público sobre educação, na incidência legislativa, nas campanhas de denúncia, no apoio às demandas da comunidade e no acompanhamento a diferentes processos. Entre tais ações cidadãs em busca por igualdade substantiva, destacam-se as seguintes perspectivas: gênero, direitos humanos, juventude, inclusão à diversidade sexual, direitos docentes, acesso à educação para todas e todas e uma ética planetária.

Quais são os principais desafios e oportunidades para a realização do direito à educação no México?

No contexto atual, temos como oportunidade o fato de que a atual administração pública abre caminho para que a educação progrida e seja a base para a melhoria da vida e do desenvolvimento sustentável, conforme estabelece a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável; bem como para avançar na articulação entre organizações, redes e grupos que defendem o direito humano à educação a partir de diferentes plataformas.

Nesse contexto, no entanto, mantemos uma postura crítica e de exigência em relação à responsabilidade pública do Estado e ao exercício dos direitos.

Nosso principais desafios são: defender, promover e garantir o direito humano à educação em um contexto nacional de violência generalizada (feminicídios, vulnerabilidade das defensoras e dos defensores do território e violência escolar, etc.); influenciar um projeto de profunda transformação educacional com um horizonte ético; e trabalhar coletivamente para garantir a melhoria do sistema educacional mexicano e reconhecer a contribuição da sociedade civil mexicana.

Qual a importância da integração da CADEM à CLADE? Como essa parceria fortalece a luta pelo direito à educação no México?

As alianças da Campanha pelo Direito à Educação no México são fortalecidas por sua integração à CLADE, já que essa lhe permite vincular-se com redes, fóruns e coletivos de todos os países da região em que a CLADE tem membros, de modo que se tem uma visão latino-americana na luta por uma educação emancipadora e libertadora.

A trajetória, a experiência e a força da CLADE permitem que a Campanha no México tenha um ponto de encontro, incentivam sua articulação com as diferentes forças coletivas no México, e lhe possibilitam obter elementos orientadores para realizar seu trabalho a partir das bases.

Com essa parceria, a Campanha no México poderá enfatizar os seguintes eixos: a responsabilidade pública do Estado pela garantia do direito humano à educação, como promotor dos demais direitos; a democratização e a eficiência do sistema público de ensino; a qualidade dos programas e processos educacionais; e a ação plural e coletiva dos diversos sujeitos da sociedade civil.