Foto: Newshour

Guatemala: Sociedade civil se mobiliza pelo cumprimento da Agenda 2030

30 de Janeiro de 2020

Por: Samuel Grillo

O Coletivo de Educação para Todas e Todos da Guatemala publicou uma declaração em defesa de uma educação de qualidade para todas as pessoas

Em comemoração ao Dia Internacional da Educação, 24 de janeiro, o Coletivo de Educação para Todas e Todos (CETT), membro da CLADE na Guatemala, emitiu uma declaração pública reafirmando seu compromisso com o cumprimento da Agenda de Desenvolvimento Sustentável 2030 no país.

“Como parte integrante da sociedade civil guatemalteca, nossa visão é transformar vidas por meio da educação, reconhecendo o importante papel que a educação desempenha como o principal motor de desenvolvimento e para a realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos”, diz o Coletivo na nota.

Para garantir a realização do direito humano à educação, o CETT pressiona o Estado a oferecer oportunidades de aprendizado e treinamento para o grande número de crianças e adolescentes que não estão na escola no país, que precisam de medidas imediatas, constantes e específicas.

Assim, pede também a inclusão educacional, prestando atenção especial às pessoas com deficiência e às populações indígenas do país, muitas vezes excluídas dos sistemas escolares. “Nenhum objetivo educacional deve ser considerado alcançado, a menos que tenha sido alcançado por todas e todos”, destaca o Coletivo.

Além disso, compromete-se a garantir a qualidade educacional, para a qual é necessário aumentar os investimentos dedicados à educação, bem como fortalecer os processos e mecanismos de monitoramento e avaliação do progresso alcançado. “Também velaremos para que os docentes e os educadores sejam capacitados, contratados adequadamente, recebam uma boa formação, sejam qualificados profissionalmente, motivados e apoiados em sistemas com recursos suficientes”, diz a nota.

Diante do atual contexto global de mudanças climáticas, novas tecnologias e instabilidades políticas, o CETT também reafirmou publicamente seu compromisso de continuar pressionando pelo desenvolvimento de sistemas educacionais que ofereçam melhores respostas a essa situação e às necessidades de crianças, jovens e pessoas adultas, idosas, deslocadas e refugiadas.

Leia aqui a nota pública do Coletivo.