CLADE participa de debates sobre a implementação da Agenda de Educação 2030 nas Nações Unidas

3 de Julho de 2019

Por: Fabíola Munhoz

No âmbito do Fórum Político de Alto Nível da ONU, que este ano analisa pela primeira vez em profundidade o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4, a delegação da CLADE estará presente nos diálogos sobre o direito à educação na América Latina e no Caribe

Quase quatro anos após a adoção do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável de número 4 (ODS 4), referente à educação, o Fórum Político de Alto Nível das Nações Unidas (FPAN) de 2019 – plataforma oficial de monitoramento aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em âmbito internacional – enfocará a revisão do ODS 4 e dos objetivos de número 8 (trabalho digno e crescimento econômico), 10 (redução das desigualdades), 13 (ação para o clima), 16 (paz, justiça e instituições sólidas) e 17 (parcerias para alcançar os objetivos). O FPAN acontecerá de 9 a 18 de julho em Nova Iorque.

A Campanha Latino-Americana pelo Direito à Educação (CLADE) participará do FPAN e de seus eventos paralelos, com uma delegação de 14 pessoas de 9 países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, El Salvador, Guatemala, Honduras, Peru e República Dominicana.

Os membros da CLADE nos países que serão revisados pela ONU este ano – Guatemala e Chile – prepararam relatórios com contribuições sobre a situação do ODS 4 em âmbito nacional. Membros da CLADE no Brasil e em El Salvador também elaboraram relatórios, destacando desafios da educação em seus territórios, já que esses países haviam anunciado que participariam do processo de revisão da ONU, mas por fim isso não aconteceu.

Participarão do Fórum representantes de: Campanha Argentina pelo Direito à Educação; Campanha Boliviana pelo Direito à Educação; Campanha Nacional pelo Direito à Educação – Brasil; Fórum pelo Direito à Educação Pública do Chile; Rede Salvadorenha pelo Direito à Educação; Coletivo de Educação para Todas e Todos da Guatemala; Fórum Dakar Honduras; Campanha Peruana pelo Direito à Educação (CPDE); Fórum Socioeducativo da República Dominicana; e Rede de Educação Popular entre Mulheres da América Latina e do Caribe (REPEM).

Encontro paralelo

No contexto do FPAN, a CLADE realizará, no dia 10 de julho, das 17h30 às 19h00 (horário dos Estados Unidos), o encontro “Direitos humanos em risco: reflexos para a educação na América Latina e no Caribe”.

Nesse diálogo, com a participação de membros da CLADE e convidados especiais, serão discutidos os desafios da educação na América Latina e no Caribe, num contexto de retrocessos para os direitos humanos e o multilateralismo, bem como de fragilização das democracias. Será enfatizado o papel central da educação para alcançar a Agenda 2030 da ONU.

O evento contará com falas iniciais de: Hector Alejandro Canto Mejía, Vice-Ministro da Educação da Guatemala; Naiara Costa, do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas (UN_DESA); e Roberto Bissio, da Social Watch.

“Será uma oportunidade valiosa para verificar como a região está se saindo, no que diz respeito à realização da Agenda de Educação 2030, e também para refletir sobre que educação queremos para tornar possível o cumprimento de todos os ODS, sob seus princípios e seu espírito de fortalecimento das democracias, paz e direitos humanos, além de seu compromisso com a superação das desigualdades históricas, que ainda são tão presentes”, afirma Camilla Croso, coordenadora geral da CLADE.

Se você estará no FPAN e quer participar, entre em contato com a CLADE, escrevendo para giovanna@redclade.org.

Lançamento

Para destacar a importância da participação da sociedade civil no cumprimento do ODS 4, durante o encontro paralelo, a CLADE lançará o documento “A incidência política pelo direito humano à educação: relatos e aprendizados da América Latina e do Caribe – Volume 3”.

Nessa publicação, membros da CLADE e a coordenação executiva da Campanha contam suas experiências de luta pelo direito humano à educação: os desafios, avanços e aprendizados, as estratégias e recomendações que podem ser úteis para outros movimentos e organizações da sociedade civil. São apresentados casos de incidência, comunicação, pesquisa, articulação e mobilização interinstitucional em 10 países da América Latina e do Caribe, além de 3 experiências regionais, uma impulsionada pela CLADE e outras duas de redes regionais membros da Campanha: Espaço sem Fronteiras e Associação Latino-Americana de Educação e Comunicação Popular. O documento será distribuído em Nova Iorque, em inglês e espanhol, e estará disponível neste site.