Foto: UNESCO

CLADE participa do fórum internacional da UNESCO sobre inclusão e equidade na educação

10 de Setembro de 2019

Por: Thais Iervolino

A reunião sera realizada em Cali, Colômbia, de 11 a 13 de setembro, e busca construir um entendimento comum e um compromisso renovado com a inclusão na educação.

Como promover legislação, políticas, programas e práticas para a educação inclusiva? Que medidas os governos devem adotar para garantir ambientes de aprendizado inclusivos e iguais? Que recomendações são feitas para promover a inclusão e a equidade na educação? Com base nessas e em outras questões, são promovidos os debates do “Fórum Internacional da UNESCO sobre Inclusão e Equidade na Educação”. O evento acontece em Cali, Colômbia, de 11 a 13 de setembro.

Organizado pela UNESCO, em cooperação com o Ministério da Educação da Colômbia e a Prefeitura de Cali, o Fórum celebra o 25º aniversário da Conferência Mundial sobre Educação para Necessidades Especiais, realizada em Salamanca. O encontro busca construir um entendimento comum e um compromisso renovado com a inclusão na educação, entre os responsáveis pela formulação de políticas educacionais, profissionais da educação, organizações da sociedade civil, ONGs e agências das Nações Unidas.

No âmbito do Fórum, autoridades, especialistas, ativistas, educadoras e educadores refletem e discutem sobre os desafios e estratégias para superar as barreiras de acesso e permanência escolar que persistem para grupos discriminados, além de analisar o progresso e os desafios no cumprimento de Agenda de Desenvolvimento Sustentável 2030.

O evento, que reúne cerca de 500 pessoas de mais de 40 países, conta com a participação de representantes de: CLADE, Coalizão Colombiana pelo Direito à Educação, Campanha Boliviana pelo Direito à Educação, Fórum Socioeducativo da República Dominicana, ALER, Organização Mundial de Educação Pré-Escolar (OMEP) e Campanha Mundial de Educação, que se somam aos diálogos sobre políticas públicas educacionais, avaliação, marcos legais, primeira infância, barreiras e oportunidades de inclusão, entre outros tópicos.

O encontro conta com a participação de representantes dos Ministérios da Educação e funcionários do governo; profissionais da educação, educadoras e educadores; pesquisadoras, pesquisadores e especialistas; organizações de juventude; meios de comunicação; e representantes de organizações intergovernamentais e não governamentais que apoiam a educação inclusiva

A coordenadora geral do CLADE, Camilla Croso, será uma das participantes do painel “Currículos e avaliação inclusivos para acompanhar os alunos em sua diversidade”, que ocorrerá na tarde de 12 de setembro. Nesta mesa, serão analisadas e discutidas as estratégias para garantir o desenvolvimento e a aplicação de currículos e materiais de ensino inclusivos e interculturais que respondam a diversas situações e necessidades ao longo do ciclo educacional. Também será examinada a maneira pela qual métodos de avaliação para apoiar e acompanhar estudantes de diferentes correntes culturais e socioeconômicas, com diferentes habilidades e necessidades educacionais.

Camilla Croso também será responsável por moderar os diálogos do evento paralelo ao Fórum, intitulado “Inclusão e educação na América Latina e no Caribe: questões e desafios críticos”. A reunião, organizada pelo Relatório de Acompanhamento da Educação no mundo da UNESCO (GEM, por seu acrônimo em inglês) também será realizado em 12 de setembro.

Na ocasião, serão discutidos dados e tendências apresentados na formulação de uma edição regional especial do Relatório, que será lançado no próximo ano: o GEM 2020 sobre o Direito à Educação e Inclusão na América Latina e no Caribe.

Outros debates que se destacam no programa

Também entre os participantes do evento: Vernor Muñoz, ex-relator especial da ONU para o direito à educação e diretor de políticas e advocacia da Campanha Mundial pela Educação (CME), e Mercedes Mayol Lassalle, vice-presidenta para a América OMEP Latina e presidenta da OMEP Mundial eleita para o período 2020-2023.

Vernor Muñoz participará da sessão plenária em 12 de setembro, com o tema “Preparação e aprovação de quadros legislativos, de planejamento e de políticas que estabelecem as bases para a inclusão e a equidade”. No dia seguinte, Mercedes Mayol Lassalle é uma das pessoas convidadas para o painel “Promovendo parcerias para inclusão, aprendizado e desenvolvimento na primeira infância”, no qual será abordada a importância de estabelecer parcerias e estratégias multissetoriais para o desenvolvimento integral das necessidades sociais, emocionais, cognitivas e físicas abrangentes de crianças pequenas.

25º aniversário da Conferência Mundial sobre Necessidades Educacionais Especiais

O evento realizado em Cali nesta semana comemora o 25º aniversário da Conferência Mundial sobre Necessidades Educacionais Especiais, realizada em Salamanca, na Espanha, pela UNESCO e pelo Ministério da Educação e Ciência da Espanha.

Na ocasião, a Declaração de Salamanca foi adotada e amplamente apoiada, estabelecendo o princípio fundamental da inclusão nas escolas: “Todas as crianças devem aprender juntas, sempre que possível, ignorando suas dificuldades e diferenças. As escolas integrativas devem reconhecer as diferentes necessidades de seus alunos e responder a elas.” Desde então, o conceito de inclusão se expandiu, enfatizando a necessidade de atingir cada aluno, sob a premissa de que todos são igualmente importantes e têm o direito de acessar uma educação relevante, inclusiva e equitativa.